sábado, 29 de novembro de 2008

de olhos cavos

Acordava nesse dia com o pesado estigma da realidade. Não queria. As páginas do calendário assinalavam aquela sexta-feira que queria simplesmente riscar, como um dia em vão, já findo. Pelo remorso da culpa, atravessou a porta e deixou-a bater, com uma inércia que a força do vento permitia. Antes disso, olhou-se ao espelho, penetrando o olhar irmão reproduzido e apreciou as olheiras sintomáticas da sua indiferença pelo quotidiano, e o branco já sujo dos olhos. Esses olhos já desencorajados, já desavergonhados, sem pudor de nada omitir. Esses olhos carregados de vácuo, dessa pesada leveza que amiúde se esvai, sem requisito prévio ou autorização. Ao sair, percebe-se, no fim das contas, em simetria com o mundo, hoje incerto, gélido e de pingos inevitáveis. E de olhos já trémulos, deixa-os ir, ao sabor da chuva.

sábado, 22 de novembro de 2008

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

A devoção

Confirmei ontem a tese que formulei a partir do momento em que deixei de simplesmente conhecer Beach House para começar a nutrir pelo trabalho deles uma espécie veneração (coisa que aconteceu talvez no espaço de uma semana) - tenho sempre uma experiência de deleite como se da contemplação de uma epifania se tratasse. Será?

Por isso, qualquer comentário a respeito do concerto de ontem ou soaria a crítica pseudo-erudita ou a qualquer coisa do domínio da devoção inveterada (o trocadilho, devoção e tal. Não?)

Posto isto, apenas a dizer que ontem apenas faltou uma Childhood e uma Home Again. Qualquer coisa de onírico. Absolutamente onírico.

p.s. A Jana desenhou-me uma caveira. Arrepiei-me no D.A.R.L.I.N.G.

domingo, 16 de novembro de 2008

sábado, 15 de novembro de 2008

feminino

Carlos Maria amava a conversação das mulheres, tanto quanto, em geral, aborrecia a dos homens. Achava os homens declamadores, grosseiros, cansativos, pesados, frívolos, chulos, triviais. As mulheres, ao contrário, não eram grosseiras, nem declamadoras, nem pesadas. A vaidade nelas ficava bem, e alguns defeitos não lhes iam mal; tinham, ao demais, a graça e a meiguice do sexo. Das mais insignificantes, pensava ele, há sempre alguma coisa a extrair.


Machado de Assis in 'Quincas Borba'

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

conscience

Há algum tempo dizia, arrogantemente, que a consciência, na sua tradição ocidental, mais não era que um cómodo entrave e um inibidor convencionado da natureza humana. Ironicamente, hoje rodava The Divine Comedy no IPod, e surgiu isto: ... consciousness as a mere accessory of physiological processes whose presence or absence makes no difference, whatever are you doing (in 'The booklovers').
Contudo, pensei que a sua ausência ou presença não é assim tão indiferente e que, não obstante processo biológico, as suas repercussões, por muito que as pretendamos ignorar, subestimar ou atenuar, fazem ressentir-se. Mais não seja nos revolveres na barriga, nas borboletas no estômago, nos apertos no coração ou nas lágrimas delatoras dos mais temidos e recônditos sentimentos. Pode não ser mais que mera biologia. Mas e daí? Racionais, mas animais.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

he blows

We only reveal ourselves
And change ourselves
When we’re sheltered


Hanne Hukkelberg - 'The Northwind'


quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Yes, we can



O caminho que se nos apresenta vai ser longo. A subida vai ser íngreme. Podemos não chegar lá num ano e talvez nem mesmo num mandato, mas América - nunca estive tão esperançoso como estou nesta noite que chegaremos lá. Prometo-vos - nós, enquanto povo, chegaremos lá.



terça-feira, 4 de novembro de 2008

el perro

Estou a faltar a duas aulas (em simultâneo) mas parece que não estou muito ralada, ora não me tivesse deparado com isto:

El Perro del Mar

3 de Dezembro - Cabaret Maxime

(Recorda-se que a 4/12 Lykke Li actuará no S.Jorge)

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Metro Photo Challenge

Disseram-me para concorrer para o concurso de fotografia internacional do jornal metro, e eu mandei para lá umas poucas, por desporto...e muito surpreendentemente para mim, uma delas foi classificada como estando nas 100 melhores de Portugal...
Bem, e assim sendo, queria deixar aqui o link para quem quiser dar uma mirada. Agradeço a atenção de quaisquer votos/comentários que queiram, ou não, deixar lá!







domingo, 2 de novembro de 2008

a pulp fiction's girl

Hoje disseram-me, mais do que uma vez, que estava especialmente parecida com a Uma Thurman no Pulp Fiction (coisa que foi egocentricamente boa de ouvir). E, inevitalmente, os comentários fizeram acompanhar-se disto:

sábado, 1 de novembro de 2008